STRESS, ANSIEDADE, DEPRESSÃO

STRESS, ANSIEDADE, DEPRESSÃO

A velha personalidade materialista debate-se em dois estágios, revolta ou depressão. Ambos autodestrutivos, reflexos da reação a tudo que não concordam.

Herança do Materialista em Extinção

A velha personalidade materialista debate-se em dois estágios, revolta ou depressão. Ambos autodestrutivos, reflexos da reação a tudo que não concordam. Vêm o mundo como uma cena de terror, desigualdade, injustiça, miséria e dor.

O Homem da nova era flutua sobre as dores e eventualidades do mundo, percebendo que tudo tem um propósito e o male que afeta cada um, existe para o beneficiar; ele aceita as crises como um caminho, assim como a surfista aceita o poder da gigantesca da onda para se erguer e planar. Aceitar não se trata de uma submissão passiva mas sim uma lide proactiva; ao procurar aceitá-las; enche-se de misericórdia e compaixão e aplica a energia para conseguir sabedoria e servir a humanidade; ele não se culpa nem culpa Deus, ou outros pelos males que o afligem, porque sabe que colhe o que semeou, e por isso cultiva o amor e a aceitação.

A Construção Irracional do Sofrimento

“Mentalidade de bandido”

 

Stress é a energia, produzida quando se nega o que não se pode mudar. É como esmurrar pontas de facas; quanto mais poder e força usar, mais ferido vai ficar. Stress é resultado de uma atitude pouco inteligente em relação aos acontecimentos, pessoas e coisas.

Ansiedade é outra herança materialista. Não confia no fluxo e processo da vida, afasta-se dela como um filho pródigo, embrenhando-se num mundo tenebroso acompanhado pelo medo e pela culpa, um trio que cria o que alguns chamaram de inferno.

Depressão = fechar de um ciclo para uns, prisão para outros.

Embora já outrora descrita, por Hipócrates, foi no último século do milénio, que ela teve uma maior difusão. A aceleração na reta final da velha era, obrigou a humanidade a uma constante confrontação com a realidade (Evoluiu mais o mundo no último século do que nos vinte séculos anteriores). Esse fluxo em alta velocidade, fez com que milhões de homens e mulheres de todas as raças e credos no mundo ocidental, encetassem a fuga para a depressão. Uma forma “cómoda” de negar o fluxo e processo da vida.

O que liga, Stress, Ansiedade e Depressão?

Uma visão materialista da vida. O julgar situações e acontecimentos através da ilusão dos sentidos.

António Shiva.

antonio@solucaoperfeita.com

TER RAZÃO OU SER FELIZ É UMA QUESTÃO DE ESCOLHA

“Tudo pode ser partícula ou onda”

Afirma a moderna Física Quântica

Nada é mais inútil que querer provar a verdade. A verdade é sempre verdade mesmo se negada, manipulada ou escondida. Como dizia Buda; “ A verdade é como o sol e a lua, não permanece muito tempo oculta”.

Este é mais um artigo na sequência do “AGIR APESAR DO MEDO”, que tem como objetivo partilhar a minha experiência adquirida ao longo do último terço da minha vida.

Quando tudo parecia ruir na minha vida, tentei das mais variadas formas justificar a razão de tal falência. Justificava a minha doença incurável, e a vida fracassada pelas circunstâncias adversas, e pela vida pouco sensata que tinha escolhido.

Foi um doloroso processo justificar o meu fracasso, procurar razão para atitudes insanas, que apenas tinham como objetivo autossabotar-me e adiar cada vez mais a simples aceitação da realidade.

Se está a passar por um momento altamente delicado em que parece que tudo vai ruir. Que quanto mais se esforça para que tudo siga ao ritmo desejado mais imprevistos aparecem. E que aparentemente todos os ventos sopram ao contrário. Por favor relaxe; não tente justificar o que está acontecer. Independentemente da justificação que encontrar, ela somente o transporta para o papel de vítima. E vítima; cria agressor.

Antes de prosseguir preciso de lhe mostrar a minha visão do mundo. Sei que possivelmente você vai discordar, principalmente se ainda está na fase de procurar justificar a razão do estado caótico em que se encontra a sua vida. Embora saiba que notícias contraditórias nos chegam diariamente de vários cantos do globo, que têm como objetivo manter a humanidade subjugada pelo medo.

Eu sinto-me maravilhado com os bons ventos da mudança, que prevêem um mundo cheio de gente maravilhosa, abençoada, perfeita e feliz. Um mundo onde todas as crianças são respeitadas, e animadas a desenvolverem os seus potenciais, sonhos e desejos. Onde a informação está ao alcance de todos e a luta pela sobrevivência foi a travessia do deserto, que a humanidade percorreu até a nova era da informação.

Sei que alguns não querem concordar com esta visão de mundo, e que outros continuam a lutar pelos postos de trabalho pelos quais foram formatados, embora não acreditem mais na luta.

Como transcender duma mente competitiva para uma mente criativa?

 A luta pela sobrevivência acaba no fim do deserto da materialidade, onde o velho homem lutava pela sobrevivência. Nesta nova era o novo homem não tem de que se defender, desloca-se na vertical, não tem de que ter medo. Nada nem ninguém tem poder sobre ele, ele vê em cada semelhante a sua própria imagem. É respeitado da mesma forma que respeita. 

 

Assim eu sou o mundo que desejo.

 

 Como se faz? Aceitar a realidade atual é primeira atitude mental. Depois examinar o que verdadeiramente deseja. Em seguida; Ser o que deseja.

É simples não é?

Recapitular:

Aceitar simplesmente a situação atual – (sem justificação ou julgamento)

Definir o que realmente deseja.

Por ação – não fazer julgamentos nem criticas (ninguém tem esse direito) mantendo sempre acesa a chama focando-se no que realmente deseja. Aproveitar toda ou qualquer circunstância, mais desafiadora, geradora de energia como o combustível que precisa para alcançar o objetivo.

 É Simples – liberte a culpa e o medo – Crie o mundo que deseja.

Antonio Shiva

antonio@solucaoperfeita.com

A Realidade muda cada vez que muda a Crenças

A Realidade muda cada vez que muda a Crenças

“Muda a maneira de ver as coisas, e as coisas que vê mudarão”

Anónimo

“Para cada lado que olho, somente vejo pessoas maravilhosas, a recriarem um mundo cada vez melhor, mais belo, mais inteligente e amoroso”. Esta é a visão do NOVO MUNDO de quem procura, apanhar a onda e surfar na NOVA ERA. 

 

Antes de citar mais alguma frase famosa, que resulta como chover para o mar; e juntar mais um pouco de plástico no artigo, quero lembrar como sempre: Não acredite numa só palavra que aqui lê. Apesar deste aviso constante, que faço em praticamente todos os meus artigos, recebo, constantemente no meu endereço de correio electrónico vários feedback.

Começo mais uma vez, por chamar a atenção, de quem quer de verdade mudar a sua a realidade, que não continue procurando o método ideal ou do melhor método. Somente somará mais fracasso ao já acumulado.

Quanto maior o conhecimento maior o fracasso obtido

Embora pareça contraditória esta afirmação, na verdade é o que realmente a minha experiência me ensinou ao longo deste meus mais de 20 anos na procura da metamorfose. Tanto para encontrar a minha própria Metamorfose, quando nos finais dos anos 80 encontrei o vazio existencial. Durante dez anos numa procura mal orientada, atravessei o deserto da informação e cheguei ao final do corredor da morte, exausto e totalmente anulado pelo conhecimento, que alimentou a fictícia ilusão, de ser gente. Não era mais que um vegetal, alienado por potentes ansiolíticos e psicóticos, na enfermaria de um Hospital Psiquiátrico. Foi numa rara ocasião de lucidez, que tive consciência, do lugar a que tinha chegado. À enfermaria de Um Hospital Psiquiátrico.

Foi nesse instante que todos os prémios, cursos, diplomas e títulos, não serviram de nada. Esse instante e tomada de consciência foram a semente da mudança.

Antes de prosseguir, desafio todos os que têm muito conhecimento; ou que sejam muito bem informados, sobre as doenças que padecem sejam elas, físicas, mentais, emocionais ou financeiras que desmintam esta afirmação.

Enquanto se procura conhecimento; a informação é filtrada, pelas mesmas medidas viciadas com que criou a realidade que tanto quer alterar. Assim todas as ações encetadas, levam o individuo para uma espécie de demência em circuito fechado um tipo de Big Brother.

É com tristeza que diariamente me cruzo com dezenas de pessoas que procuram informação e compreensão. Negando assim a verdadeira vida. Basculham tudo até encontrar a informação que precisam para provarem ter razão e justificar a sua doença e insucesso.

É assustador a energia que se gasta num trabalho árduo e perigoso, com a única intenção de justificar e preservar a condição de sofrimento que vive. Quando se apresenta uma solução, as desculpas para protelar chovem.

É mau ter muito conhecimento?

Claro que não é mau ter muito conhecimento, somente é necessário ter-se inteligência suficiente, para perceber que aquele conhecimento todo o levou ao que não quer.

O SEGREDO DO SUCESSO

Humildade é o Segredo, para reconhecer que o conhecimento do problema em nada ajuda na recuperação, ou mudança da realidade. Aqui está o segredo HUMILDADE para entrar em frequência com a metamorfose ou mudança da realidade.

Então vejamos de novo.

1º Passo – Humildade –   admitir a impotência de resolvermos sem ajuda o problema que o aflige.

2º Passo – Pedir ajuda

3º Passo – Aceitar ajuda, seguir sugestões

É doloroso assistir a tanto sofrimento, criado através de velhos conceitos como de “Sou uma guerreira” “ Vitoria sobre o cancro” “Luta contra doença” “Ganhou a guerra com as Drogas” “Vitória sobre Alcoolismo”.  

Nota: a minha experiência ensinou-me que nunca é demasiado tarde. Apenas pergunto – Será preciso tanto sofrimento, dor, fracasso, para reconhecer que onde nada muda; nada pode mudar?

Continuação

António Shiva

antonio@solucaoperfeita.com 

 

AGIR APESAR DO MEDO

AGIR APESAR DO MEDO

O primeiro passo para transformar uma crise numa bênção é agir apesar do medo. 

Este artigo ou qualquer outro que eu escreva não tem o poder ou intenção de ensinar nada a alguém; mas sim, despertar a verdade dormente que existe dentro de cada um. Assim; por favor não acredite numa só palavra que aqui ler. Mas Leia!

Ansiedade é medo; é não confiar no fluxo da vida, mantendo-se distante dela. A hipótese de vir a ter mais dor que prazer. Mas como saber? Somente fazendo aquilo que se tem medo de fazer se pode saber se vai existir mais dor ou mais prazer.

Seja curioso; prefere morrer sem ao menos tentar viver?

Então não existe outra opção, ou faz e conhece o resultado, ou não faz e torna-se um escravo do medo. Prisão chamada ansiedade, antecâmera da morte, o inferno da vida. O sofrimento atroz que todos os dias me é relatado pelas crises de pânico, de dezenas de internautas que procuram uma palavra, um remédio, uma solução, para aliviar o sofrimento que experimentam fora do fluxo da vida.

E quando se faz, agindo apesar do medo, o resultado é sempre maravilhoso. Nunca se entra em ansiedade, a vida acontece. 

E quando se faz, agindo apesar do medo, o resultado é sempre maravilhoso. Nunca se entra em ansiedade, a vida acontece. 

Vejamos então: “Embora a humanidade habite num mundo inteligente; Justo e Correto; Simples e Perfeito; em que cada um é o autor e realizador de sua vida, responsável pela realidade que experimenta, embora as leis da física se cumpram sempre tanto para quem as conheça como para quem as desconheça, as crenças individuais adulteram e criam a realidade individual e coletiva”.

Agir apesar do medo é a ação de quem, apesar de não confiar no fluxo e processo da vida, quer dar uma razão a sua existência. Ainda que, não tenha grandes opções de escolha. Ou se age apesar do medo; ou se entra no mundo da ansiedade. Prisão para a qual o homem moderno tem sido conduzido, pelas modernas escolas de formatação, que incentivam a competição, o piloto automático da sobrevivência.

Vejamos o porquê:

 

Os ensinamentos através da atitude sábia de Jesus; Lao-Tsé; Confúcio; Buda e tantos outros Mestres Antigos e Modernos assim como alguns Cabalistas famosos, são baseados na perfeita união entre as leis da física e da espiritualidade, que sempre valeram na vida de cada um deles. Que nada mais é, do que confiar no fluxo e processo da vida. O equilíbrio entre as leis espirituais e as leis do universo criam o fluxo chamado vida.

Todos os dias recebo dezenas de pedidos de ajuda, de homens e mulheres de todas as idades, e extratos sociais que desesperadamente esperam um remedio milagroso para a ansiedade que os sufoca.

Porque não se confia no fluxo e no processo da vida? O que é que se possui além da vida? Será inteligente não confiar na única coisa que possuímos; que desde a nossa conceção até ao suspiro final nos manterá nesta dimensão.

Porque se procede assim?

Estas e outras perguntas terão a resposta nos próximos artigos, para que possas refletir. Mas enquanto não tens respostas lembra-te que para transformar uma crise numa bênção é preciso:

AGIR APESAR DO MEDO

António Shiva

antonio@solucaoperfeita.com

 

Continue a ler…

Como se Libertar da Dependência dos “Ansiolíticos”

Como se Libertar da Dependência dos “Ansiolíticos”

O Elevado uso de tranquilizantes é “problema de saúde pública”

Como se Libertar da Dependência dos “Ansiolíticos”

Portugal o Pais do XANAX e Brasil o pais do RIVROTIL.

O tenebroso mundo dos Sedativos Hipnóticos

Vou-lhe ensinar passo a passo como se libertar desta maldita prisão (os ansiolíticos) que fez do povo Português um povo Toxicodependente.

Esta é uma notícia do passado mês de Fevereiro do Publico que pode ler na integra no site do Infermed no link que deixo no final.

Apesar dos alertas repetidos nos últimos anos, a utilização de medicamentos ansiolíticos, sedativos e hipnóticos continua muito elevada em Portugal. Tão elevada que, nas conclusões de estudo em que analisou o consumo dos psicofármacos em Portugal Continental entre 2000 a 2012, uma especialista da Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) defende que este é “um importante problema de saúde pública””.

Por mais que se alerte, para este grave problema de saúde pública, que alastra como fogo em capim seco dia após dia, criando assim um mundo de toxicodependentes; fáceis de manipular, assegurando o poder da indústria de estupefacientes.

Muito existia para narrar desde os simples analgésicos de compra livre a muitos xaropes que levam na sua composição Benzodiazepinas, para que os “inocentes” utentes fiquem dependentes desta ou daquela marca. Tudo isto acontece a dezenas de anos, com o conhecimento de todos mas o medo do sistema, aterroriza qualquer um. Lembro as palavras do Dr. Ryke Geerd Hamer o pai da nova Medicina Alemã. “Assim como na Idade Média, a Igreja era a instituição mais poderosa do planeta. Era dela que os reis e rainhas recebiam o poder de governar e de onde também poderiam ser excomungados, caso os interesses da Igreja estivessem em risco. Assim também a indústria da Doença mantem o planeta sob controlo, através da constante imposição do medo”.

Por isso o melhor é estar-se quieto e irmos ao que é importante a liberdade da maldita droga que mantem no cativeiro famílias inteiras.

Como se encontra a Liberdade das drogas. Neste caso as Benzodiazepinas (vulgo Calmante)?

Para que possa libertar-se desta dependência. É preciso em primeiro lugar, saber como a droga funciona.

Ao contrário do que muitas vezes se tenta fazer crer as benzodiazepinas não podem passar por um processo de desmame. O desmame pode sim ser aconselhável, noutras substancia, ou no caso do utente não se encontrar dependente da substância. O que é pouco provável, se assim fosse, não precisaria da desintoxicação.

Embora não exista um estudo oficial para a desintoxicação do organismo de Benzodiazepinas, a minha experiencia em quinze anos, a resgatar homens e mulheres desta maldita prisão, concedeu-me experiencia, para ajudar qualquer um que queira libertação.

Antes de iniciar a desintoxicação é preciso saber como o processo se vai desenrolar. É preciso também saber que se está perante um adversário poderoso, e que de forma alguma o poderemos vencer se quisermos fazer braço de ferro com ele.

Depois de Aceitar a impotência em relação a droga eu vou ensinar como se proceder.

Precisa também saber como tudo vai acontecer. O processo de desintoxicação tem o seu pico as 72 horas. Por outras palavras as primeiras 72 horas ou 3 dias, é quando se chega ao pico da ansiedade. Começando a diminuir até que a droga sai-a definitivamente do organismo. Mas para que não sinta ansiedade nessa fase vai ser suplementado por um ou dois produtos naturais, que vão substituir a benzodiazepina. Deixando assim definitivamente, a droga de uma forma simples e sem sofrimento.

Como não existem duas pessoas iguais, e para melhor poder assegurar o sucesso da desintoxicação peço-lhe que preencha o questionário de saúde, que deixo a seguir. Asseguro que todos os seus dados médicos e pessoais estão cobertos pela lei do sigilo e anonimato. Somente servem para o fim que se destinam.

 

 

http://vidaintegral.solucaoperfeita.com/o-seu-coach/antonio-shiva/

 

Espero por si!

António Shiva

antonio@solucaoperfeita.com

http://www.rcmpharma.com/actualidade/medicamentos/21-02-14/infarmed-elevado-uso-de-tranquilizantes-e-problema-de-saude-public

 

ZONA DE CONFORTO

 

Muitas são as cartas de agradecimentos recebidos diariamente daqueles que por todo mundo, procuram uma solução para os seus problemas. Para com todos partilho as minhas humildes experiências, resultado de uma pesquisa de mais de 20 anos, sobre os motivos que levavam os seres humanos a perderem a alegria e o poder com que chegam a este mundo, transformando-se em seres insípidos, que ora são vítimas ora agressores.

Sinto que tenho a função de divulgar os novos conceitos adquiridos com a experiência vivida tanto pessoal como com centenas de indivíduos de ambos os Sexos; de todas as raças e credos assim como extratos sociais. São experiências de profundas metamorfoses que acompanham desde a ruína; “o fundo do fosso” até a mudança ou recuperação.

 

 

muro

O “fundo do fosso” é um fosso em que a única saída é para cima, para a luz. Não importa se é depressão ou cancro, se é alguém que vive dependente de “Calmantes” ou de outra droga qualquer ,seja ela para a diabetes ou para a tiróide; sempre que se caminha em círculos escavasse o fosso. Cada individuo tem o seu; Pouco importa onde um individuo se encontra; esse não é o problema…. O problema é saber se o individuo quer sair embora reclame e lamente a situação, poucos são os que querem sair, embora afirmem o contrário …

Aproveito para contar uma História que já a ouvi, há algum tempo e que lhe vou dar o meu toque pessoal; e demonstra bem como somos. Leu bem como SOMOS….. Embora muitos não queiram enxergar TODOS TEMOS ESTA CARACTERÍSTICA.

Então lá vai a História:

Numa radiante manhã de sábado o Pedro pega num pequeno farnel e propõe-se fazer uma incursão pelo interior Alentejano. Há muito que o pensava fazer e aproveitou este fim-de-semana de início de primavera, antes que as temperaturas tórridas tornassem o passeio num inferno. Já passava do meio-dia, quando na deserta planície alentejana se vislumbra ao longe, um posto de combustível. O Pedro, que já começava a sentir alguma ansiedade, por não ter avistado uma casa à muitos quilómetros e não se ter cruzado com outros veículos, aquela visão trouxe de novo a paz, e o prazer do passeio. Embora tivesse atestado na véspera e o tanque estivesse acima de meio, o Pedro, decidiu aproveitar para parar, desentorpecer as pernas, e atestar o tanque de gasolina.

Estacionou na posição correta; saiu do carro, e num alpendre em frente, um homem de barba grisalha, mal tratada, de chapéu velho de palha, que quase lhe cobre cara, acompanhado por um enorme Rafeiro Alentejano, acena com o sinal que pode abastecer. Depois de calmamente abastecer sem pressa usufruindo da calma do sítio, em contraste com a correria desenfreada da capital; o Pedro dirige-se ao senhor que ainda não tirou o chapéu de cima dos olhos com o dinheiro para pagar a importância referente ao combustível abastecido. Enquanto se aproxima apercebe-se que o enorme Cão Rafeiro Alentejano, solta latidos de dor, exprimindo no olhar um grande sofrimento. Sentindo-se extremamente perturbado com aquele cenário de amargura, e perante a frieza do individuo que nada fazia para o minimizar, o Pedro tenta chamar a atenção; perguntando se aquele belo animal, está doente. Perante a questão o gasolineiro movendo a palha de um canto para o outro da boca, respondeu demonstrando algum incomodo “não está nada doente”…

 

– “Mas ele está em sofrimento” retorqui-o o Pedro. “UF”- responde o gasolineiro não escondendo o desagrado. -“Mas é preciso fazer alguma coisa”- continua o Pedro, também já indignado com a preguiça e frieza do gasolineiro. Responde já zangado o Gasolineiro – “O melhor é senhor não se meter nisto”.. Mas o Pedro um defensor dos direitos dos animais, fica indignado e avança para o gasolineiro que agora se endireita na cadeira, levanta o velho chapéu de palha com a mão esquerda lentamente deixando ver os olhos verdes azeitados, que brilham de uma forma especial, numa calma Brejeira.

– O senhor não ligue este cão é muito preguiçoso;

– “Mas ele está em sofrimento” afuroa o Pedro.

– Já lhe disse para não ligar – continua o gasolineiro, com a velha calma alentejana; é somente preguiça

– Veja bem o Senhor – continua o gasolineiro- este cão com quase 80 quilos está deitado em cima de uma tábua que tem um enorme prego espetado. A dor que provoca o sofrimento é o prego a enterrar-se na carne, mas enquanto a preguiça for maior que o sofrimento ele não sai de cima do prego.

Mas não é só este cão que é assim …há mais… diz o gasolineiro, esboçado um sorriso malandro.

 

 

É verdade há mais…

Quantos conhecemos com as vidas em grande sofrimento, que continuam a fazer o que lhes incute dor e sofrimento. Às vezes até pedem ajuda; mas quando se fala em mudar, a preguiça é maior que a dor.

Existe uma infinidade de formas de recuperarmos a alegria que nos foi roubada na infância. Com a boa intenção de nos prepararem para o mundo.

Não adianta gemer é preciso sair da zona de conforto.

Obrigado

António